Em destaque

Perfil psicológico das irmãs Hallwell

Quando pensamos nas transformações das irmãs Halliwell ao longo das temporadas, lembramos sempre das metamorfoses que as fizeram viajar pelo tempo e pelo espaço. Mas mudanças mais sutis, ao longo dos tempos, são muito úteis para compreender a psicologia complexa de uma personagem.

No caso das Charmed Ones pode parecer mais difícil, já que elas sofrem influência de suas transformações mágicas. E, desde o início da série, a história da família Halliwell é contada de trás para diante. Três bruxas que descobrem não ser quem pensavam depois da morte da avó certamente tiveram numa infância complicada e, apesar do dominante bom humor, os roteiristas da série deixaram entrever a complexidade da vida de uma futura feiticeira: Prue e sua obsessão pela responsabilidade, Piper e seu medo da vida, Phoebe, a adolescente rebelde, Paige e sua solidão e problemas com o álcool.

Uma das primeiras imagens que temos do passado delas é a gravação, em fita cassete, de uma festa de Natal com o pai e a mãe que, por um motivo ou outro, as abandonaram. Ao longo da primeira temporada, ficamos sabendo que Prue praticamente assistiu à morte de sua mãe. Virou então a irmã que tem a obrigação de ser forte. Quanto à Phoebe, tornou-se uma criança que vive para o presente, sem pensar no futuro. É uma imagem um tanto estereotipada da rebelde sem causa. Já Piper, a série não deixa exatamente claro como foi sua adolescência, apenas que tinha problemas com a aparência e o aparelho nos dentes. Mas dá para entender que se sentia frágil e desprotegida sem os pais, e que cresceu à sombra de Prue.

A magia de Charmed nos permite ver tempos ainda mais antigos: as vidas passadas, como as primas P. Bowen, P. Baxter e P. Roussell no início dos anos 1920. Aí surge uma certa explicação para a mudança de atitude de Prue, que "relaxou" um pouco ao longo da série: a nova tônica da personalidade da irmã mais velha seria inspirada em sua persona anterior, uma fotógrafa.

Já a Piper da vida passada aparece como a matriarca que se tornará depois da morte da irmã. Parece até que os roteiristas estavam tendo uma premonição... E Phoebe mostra que nunca foi santa, namorando um demônio e tornando-se má na vida anterior.

Um cenário coerente com a personalidade das irmãs também aparece na viagem das Halliwell a um possível futuro de Charmed: Phoebe vê que, se não dominar seus impulsos e passar a respeitar certas regras, vai se tornar uma espécie de terrorista. Piper se vê envolvida em problemas com a família e seu casamento com Leo e Prue, famosa e badalada, parece ter atingido o auge do sucesso profissional.

A morte de Prue foi outro ponto de virada na personalidade das Charmed Ones, uma mudança um tanto radical. A revolta fez Piper deixar de lado seu lado frágil, com certo exagero, até. Tornou-se sarcástica e durona. Já Phoebe tratou de manter um emprego fixo e, afinal, pensar no que queria para o futuro. A constatação de que desejava uma relação estável e filhos a tornou um tanto... atirada, por assim dizer, para encontrar "o homem da sua vida".

E Paige?

Ela enfrenta os dilemas típicos de uma criança adotada: a sensação de que não pertence ao lar que a acolheu, o complexo de culpa depois da morte dos pais. Quando a conhecemos, no primeiro episódio da temporada 4, ela diz ao namorado que não bebe, pois já teve problemas com isso. Também se apresenta a ele como uma pessoa muito sensível e cheia de mágoas. No mesmo episódio ela fala ao telefone com uma tia, parenta de seus pais adotivos, que nunca mais aparece na série: daí se supõe que a ligação dela com a família adotiva não era assim tão profunda, já que, com excessão dos pais, os outros foram facilmente esquecidos.

Seu grande sonho sempre foi ter irmãs, por isso fica muito feliz quando descobre que é uma das Halliwell. Antes, Paige se sentia diferente sem saber porquê e, por conseqüência, se isolava. Até as roupas extravagantes que a personagem escolhe durante algumas temporadas é conseqüência disso. Paige vai precisar de algum tempo até se sentir mais centrada.

A caracterização das Halliwell como Deusas combina com certos aspectos dessas personalidades: Piper como Hera, a Rainha do Lar, protetora da família; Phoebe como Afrodite, Deusa do Amor (sua grande ansiedade). Talvez o papel de Athena, Deusa da Guerra, não tenha caído tão bem assim para Paige mas, enfim... elas não ficaram lindas nesses figurinos?

2 comentários:

Sr. & Sr. Morais Guedes disse...

Olá!

Achei o papel de Athena, a filha do Pai, na Grécia Olímpica, perfeito para a Paige, aquela que abandona tudo em sua vida para ser a melhor no estudo da Bruxaria. Claro que essa neura dela acaba depois, mas achei perfeito!

Anônimo disse...

acho que o papel da paige como deusa da guerra foi perfeito,ela foi realmente uma lutadora,para proteger sua familia,e aprender muito rapido feitiçaria e amadurecer,acho q foi perfeito.

Tudo sobre Charmed Designed by Templateism.com Copyright © 2014

Imagens de tema por Bim. Tecnologia do Blogger.